Riscando o Mapa

CRUZANDO O INTERIOR DO URUGUAI

Já fomos várias vezes ao Uruguai, por diversos caminhos, sempre focando por viajar próximo ao mar.

Dessa vez, no retorno da Expedição Austral resolvemos voltar por um caminho alternativo, passando pelo interior do Uruguai.

A reta de volta para casa pela Argentina é bem desgastante e adoramos riscar o mapa, então lá fomos nós...

Atravessamos a ponte Internacional Barão de Mauá que fica sobre o Rio Jaguarão. A travessia custou 55 pesos argentinos.

Logo que atravessa a ponte você já chega na imigração e com isso não deu tempo de almoçar e se desfazer dos produtos de origem animal.

Uma pena, perdemos dois pedaços de carne, leite e ovos.

Nosso objetivo era seguir até Rivera para aproveitar e fazer umas comprinhas (no início do ano o dólar estava cotado em R$4,00 nas lojas por lá).

No caminho fomos até o Valle Éden, rico em paisagens naturais, possui uma antiga e bem conservada estação de trem, palco de diversas filmagens cinematográficas.


Lá está localizado o Museu Carlos Gardel, que tem por objetivo provar que o renomado músico Carlos Gardel nasceu no Uruguai e não na França.


As estradas do Uruguai são ótimas, bem conservadas, sem movimento e sem barreiras policiais (diferente da Argentina), de modo que consideramos uma ótima opção.


Faça de tudo para nunca abastecer no Uruguai, o valor estava exorbitante.

Chegando em Rivera, primeiro fomos no centro, nas lojas da rua Sarandi, Volnei comprou vinhos bem baratos.

Depois fomos nos shoppings e por último no Sineriz.

Estávamos cansados, mas achamos muita coisa que estava valendo a pena, então fomos os últimos a sair da loja.

Saímos acabamos, com fome, cansados, com a maior preguiça de pensar em algum lugar para dormir.

E para nossa surpresa é possível pernoitar no estacionamento do Sineriz, tem um espaço reservado para motorhome, o que foi a nossa salvação.

Realmente o local não poderia ser melhor, fica perto da guarita, tinha wi fi, segurança, câmeras, para quem estava cansado como nós não poderia ter tido lugar melhor e ainda aproveitamos para comprar mais algumas coisinhas no outro dia pela manhã...


Enfim, após muitos anos voltando da Patagônia encontramos uma nova rota, com mais belezas naturais e com direito a comprinhas na fronteira. 

Compartilhar