Riscando o Mapa

Roteiro e Dicas Expedição Fin Del Mundo

Roteiro

Florianópolis – Uruguaiana – Bahia Blanca – Puerto Piramide – Puerto Madryn – Trelew – Punta Tombo – Comodoro Rivadavia – Rio Galegos – Rio Grande – Ushuaia – Puerto Natales – El Calafate – El Chaltén -  Perito Moreno - Puerto Rio Tranquilo – Chile Chico – Esquel – Lago Puelo – Bariloche – Neuquen – Santa Rosa – Concepcion Del Uruguai – São Miguel das Missões – Florianópolis.

Percorremos 12.830km, foram 225h54min rodando entre Brasil, Argentina e Chile, num período de 30 dias, entre dezembro/2017 e janeiro/2018. 


Equipe

Além de nós dois, a minha mãe (da Vanessa) com 58 anos e a Babi (nossa parceira vira-lata) também foram junto.


Todos tiraram de letra, claro que tem dias mais puxados que outros, mas por isso optamos em fazer a viagem em 30 dias para não ser muito cansativa e poder aproveitar todos os lugares.

Infelizmente não foi possível ficar mais tempo, pois encerrou nosso período de férias, mas a vontade era de ficar muito mais tempo.  

Custos combustível

Foram 1389,65 litros de diesel, o valor varia muito, em média de R$4,80 a R$6,20 o litro, quanto mais ao sul mais barato o litro do diesel, por incrível que pareça.


Custos alimentação

Diferente dos outros anos achamos caro a alimentação. Um café no Posto de Combustível YPF pagamos R$10,00, em média as refeições custam R$50,00 e se optar em comer carne o valor varia em torno de R$70,00 fora o acompanhamento.

Custos Atrações

A Patagônia tem a fama das atrações serem caras e foi possível constatar que sim. O passeio mais caro que achamos foi o da Geleira Upsala e Estância Cristina em El Calafate, o custo é de $3750 o equivalente a R$675,00. Entretanto, para visitar Perito Moreno custa apenas $500 (R$90,00).

O passeio no Canal de Beagle custa $960 (R$172,80).

A Península Valdes custa $415 (R$74,70) a entrada, Punta Tombo $320 (R$57,60).

Praticamente todos os Parques Nacionais cobram entrada, só o Lago Puelo que não foi preciso pagar, mas segundo informaram vão iniciar a cobrança em breve.

Câmbio

Optamos por trocar alguns reais por pesos argentinos em Uruguaiana e foi o melhor câmbio (cada $1 peso pagamos o equivalente a R$0,18).

Durante a viagem trocamos em outras casas de câmbio e foi o equivalente a R$0,20.

Usamos bastante o cartão de crédito e no final veio em média R$0,19.

Com relação ao peso chileno trocamos em Puerto Natales, bem próximo à praça, uma pequena quantidade e utilizamos mais o cartão de crédito.

Temperaturas

A mais baixa foi de 3º em Ushuaia e a mais alta de 37º na Ruta Del Desierto (sem contar com a sensação térmica).

Problemas nas Estradas

Infelizmente é muito comum relatos de cobranças indevidas pelos policiais argentinos. Essa situação vem melhorando ano após ano. Em outras viagens ao pais já fomos vitimas desse problema. Desta vez não tivemos nenhum contratempo com relação a essa questão, entretanto, ouvimos relatos de outros viajantes que percorreram estradas diversas e relataram que ainda ocorre essa prática.

Em Uruguaiana recebemos a cópia de um documento elaborado pelo Consulado da Argentina no qual consta todos os elementos e documentos exigidos em todo o país, sem exceção. No próprio documento consta que qualquer prejuízo que os viajantes brasileiros sofram estes deverão entrar em contato com o Consulado.


Logo que cruzamos a fronteira em Paso de Los Libres já providenciamos todos os itens que ainda não tínhamos e seguimos viagem.

Dicas

Leve combustível extra, pois mesmo hoje estando melhor do que a última expedição de 2011, ainda existem trajetos longos sem postos de combustíveis. E por se tratar de final do ano vimos várias famílias dormindo nos postos de combustíveis aguardando diesel, nos relataram que devido ao feriado prolongado o abastecimento é mais escasso, portanto, melhor redobrar a atenção e abastecer sempre.

Cuidado com os guanacos nas rodovias, são muitos e tem que ter muita atenção, pois resolvem atravessar a pista do nada.


 Faça compras no supermercado e se quiser economizar opte por locais que tenha cozinha. 

Fique a atento, pois na Argentina a partir de 02.01.2017 está valendo a isenção do IVA (imposto do valor agregado, o equivalente ao nosso ICMS) que é de 21%, para os estrangeiros que paguem com cartão de crédito ou débito as diárias dos hotéis. Tivemos alguns contratempos, pois teve hotel que cobrou e foi preciso discutir. Alguns argumentaram que pequenos hotéis não estão enquadrados nesta lei, mas entendemos que deveriam então constar a informação no site antes da reserva, enfim o ideal é sempre verificar. 

Leve roupas para caminhadas, bota de trilha e jaqueta impermeável, pois o tempo muda muito em pequeno espaço de tempo. 

Tenha em mente que serão estradas sem fim, quilômetros de caminhadas, muita natureza e belezas de tirar o fôlego e que todo e qualquer esforço terá valido a pena... 


Compartilhar